Metagraf do Rio Grande do Sul se prepara para aumentar 25% da sua capacidade produtiva com a nova aquisição: a Speedmaster CD 102-4+L

15/01/2021

Fabricante de embalagens do Rio Grande do Sul confia na expansão dos segmentos em que atua e planeja aumentar sua capacidade produtiva com a nova aquisição da impressora Speedmaster CD 102, da Heidelberg.

Os números do Grupo Megapar S/A são superlativos. As duas empresas por ele controladas, Metagraf e Metaflex, estão instaladas numa área de 27 mil metros quadrados na cidade de Caxias do Sul, RS, convertendo mais de três mil toneladas de papel por mês. Produzindo embalagens primárias e secundárias em papelão ondulado, micro-ondulado e papel cartão, o grupo quer mais, e vem conduzindo, desde 2019, um plano de expansão que deve ser concluído em agosto de 2021. Ele inclui a ampliação da capacidade produtiva da Metagraf e da Metaflex com a aquisição de duas novas linhas completas de produção, uma para cada empresa.

A primeira a surgir foi a Metagraf, fundada em 1994 por Nestor Menegat e Tarcísio Paludo. Em 2010 criou-se a Metaflex e há dois anos o Grupo Megapar S/A comprou uma área de 26 mil metros quadrados ao lado de seu parque fabril, para futuras ampliações. E está construindo em área já existente mais 12 mil metros quadrados, que será destinada ao estoque e processamento de matéria-prima. Em 2019 definiram-se os investimentos em atualização tecnológica. O cronograma sofreu pequeno atraso em 2020 em função da pandemia, mas agora segue em ritmo acelerado. Em setembro de 2020 foi instalada uma das estrelas do projeto, a impressora offset plana Speedmaster CD 102, quatro cores mais verniz, concretizando um relacionamento iniciado há 26 anos. “começamos com uma Rotaspeed usada, fabricada em 1965”, recorda-se Nestor.

A nova impressora deve elevar em 25% a capacidade produtiva da Metagraf. “Optamos pela CD 102 primeiro em função do custo-benefício”, afirma o empresário. Flexibilização na programação da produção, unificação do estoque de suprimentos, equipe única de manutenção, além da familiaridade dos operadores com a tecnologia foram igualmente levados em consideração.

Impressora mais conceituada do mundo gráfico, a Speedmaster CD 102 ganhou várias atualizações desde seu lançamento, em 1980. A última é a mais impactante: a máquina recebeu a tecnologia “Peak Performance Class”, agregando flexibilidade e alta produtividade ao equipamento, reposicionando-o e criando uma nova referência no formato A1. A Heidelberg já instalou mais de 50.000 castelos de impressão desse modelo, resultado que a posiciona como a impressora mais bem sucedida do mercado.

Em tempos normais, o conhecimento técnico prévio dos operadores já seria um fator a ser observado. Agora se mostra ainda mais relevante. Trabalhando a pleno vapor, as empresas Metagraf e Metaflex, pretende crescer concentrando-se nas demandas dos mercados que já atua, que vêm das Regiões Sul, Centro-Oeste e Nordeste. “Vamos continuar firmes nos segmentos em que atuamos, todos com projeção de crescimento, para o qual temos de estar preparados. Acreditamos na economia e na força do mercado”, diz Tarcísio Paludo. Hoje, Metagraf e Metaflex atendem principalmente os setores de cutelaria, alimentos, bebidas, máquinas, calçados, vestuário e material elétrico, brinquedos e de construção.